quarta-feira, novembro 15, 2006

Enquanto o tempo passa...

Regressar ao sonho antigo? Lutar? Ou aceitar a derrota, e continuar? Como me rendo a esse tempo perdido? A esse tempo que tudo me deu, e tudo me roubou... Não sei, mas na dúvida me detenho, em cada dia que passa, implacável... Talvez tenha sido eu quem se perdeu... Naquilo que então era o essencial. Saudades... Desse viver ao sabor das vontades. Dessa confiança na sorte. Desse desprezo pela morte... Dessa criança, para quem tudo era simples. E simplesmente, possível... E agora? O que mudou? Porque pesa o relógio da vida? Porque se afasta o tempo de mim, sem parar? Porque me recuso a voltar? Ainda é cedo... Será cansaço? Ou talvez medo... Pura irresponsabilidade, esta de ficar sem saber onde. Este não fazer caso da infantil fantasia. Este ir dançando a contragosto. Este viver sem escolher, e este escolher não viver. E de assim, errantemente, ir esperando um futuro...

"Resta esse constante esforço para caminhar dentro do labirinto
Esse eterno levantar-se depois de cada queda
Essa busca de equilíbrio no fio da navalha
Essa terrível coragem diante do grande medo, e esse medo
Infantil de ter pequenas coragens."


(Vinicius de Moraes)

34 comentários:

Sara Lambelho disse...

... miminho?

[:*]

Anónimo disse...

"O passado fugiu, o que esperas está ausente, mas o presente é teu."
(Provérbio árabe)
A

Filipe Feio disse...

«Precisava daquele precipício da paixão». Isso sim, faria o coração andar, e o tempo parar... :) Mas obrigado, my dear friend. Isto passa. E se passa... :*

Anónimo disse...

Cobardia.

Filipe Feio disse...

:)

Anónimo disse...

Será?
:)
A

Anónimo disse...

...Saudável, por vezes.

nelita disse...

talvez um sorriso...um olhar pela tua janela...ver os ramos das árvores a dançar lá fora...enquanto o tempo finge que passa.

:)

Filipe Feio disse...

Talvez um cigarro junto à máquina do café, ao lado do elevador, enquanto o tempo se arrasta... ;)

Cobardia saudável? O que é isso?

Anónimo disse...

O tempo não se arrasta… nós é que pensamos que sim...
A

Filipe Feio disse...

Nós quem? Eu acho que o tempo não existe... ;)

Filipe Feio disse...

A velocidade do tempo é infinita, e só quando olhamos para o passado, é que temos consciência disso. O tempo ilude quem se aplica ao momento presente, de tal modo é insensível a passagem do seu curso vertiginoso. Queres saber porquê? Porque todo o tempo passado se acumula num mesmo lugar; todo o passado é contemplado em bloco, forma uma totalidade; todo ele se precipita no mesmo abismo. De resto, não é possível delimitar grandes intervalos nesta nossa vida tão breve. A existência humana é um ponto, é menos que um ponto. Só por troça é que a natureza deu a tão diminuta existência a aparência de uma grande duração, dividindo-a em infância, em adolescência, em juventude, em período de transição da juventude à velhice, finalmente em velhice. Tantos períodos num tão exíguo espaço de tempo!
(...) Habitualmente não me parecia tão veloz a passagem do tempo; agora, porém, parece-me incrivelmente rápida, talvez porque sinto aproximar-se o fim, talvez porque passei a dar-lhe atenção e a avaliar o desgaste que em mim provoca.
Por isso mesmo me causa indignação ver como as pessoas gastam em futilidades a maior parte de uma vida que, mesmo dispendida com a maior parcimónia, não seria bastante para as coisas essenciais.

(Séneca, in 'Cartas a Lucílio')

Anónimo disse...

...chorei...
A

nelita disse...

...são breves instantes...aqueles entre o inicio e o fim de um cigarro, ao lado de uma máquina de café.
...vamos dar então essência a este ponto diminuto que somos.

:)

Filipe Feio disse...

:)

Sara Lambelho disse...

O mais injusto da vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está completamente de trás para a frente. Nós deveríamos morrer primeiro, livrar-nos logo disso. Depois viver num asilo, até sermos postos na rua por estarmos demasiado novos.

A seguir trabalhas 40 anos, até ficares bastante jovem para aproveitares a reforma. Então gozas tudo: bebes bastante, fazes festas e preparas-te para a universidade.

Depois vais para o liceu, tens várias namoradas, tornas-te irresponsável, fazes-te garoto, começas a pedir colo e acabas de regresso ao útero da tua mãe… para passares os últimos nove meses de vida flutuando.

E termina tudo com um óptimo orgasmo!


Não seria perfeito?

(Charlie Chaplin)


Beijinho com abraço.
:)

Anónimo disse...

Precisas é de vir fazer-me uma visitinha a Praga.. Esta cidade so por si é uma paixao (O Raio do teclado nem por isso :))!!And..You Are Welcome!!!

Big & Sweet Kiss From the midle of Europe

Sara Macedo

Filipe Feio disse...

:) Oh, but I want to!!! :) GOOD VIBES, baby! ;)

Anónimo disse...

Tanta citação já enjoa... A mim soa-me simplesmente a falta de roça-roça, um mal outonal que nos pode afectar a todos. Dá-me ideia, com ou sem arrastos temporais, que tudo se resolveria com menos conversa e mais suspiros entre os lençóis. E logo em Praga! Não é óbvio?

Filipe Feio disse...

O que é "roça-roça" para ti? E porquê suspiros em Praga?

Óbvio? Muito pouco... Explica-me!

Anónimo disse...

Hum... Roça-roça cantava o Bonga, e quer dizer isso mesmo. Roçar pode ser tocar ao de leve mas também esfregar. Enfim, queria insinuar que andará aí alguma falta de sexo. A Lambelho, muito acertadamente, sugere logo de início miminhos e mais adiante que tudo termine num óptimo orgasmo. Nem a propósito, logo de seguida, a outra Sara convida-te para Praga, onde os Invernos se fazem muito acolhedores. Como elas toparam logo o que se passava... E tudo isto não quer realmente dizer nada. Perdoa a indiscrição, não é mal intencionada. Dedico-me apenas a tirar nabos da púcara, para terminar, também eu, com uma expressão citada.

Filipe Feio disse...

(Do lat. vulg. *ruptiáre, de ruptu-, «limpo de erva e mato»)

Enfim... :)

Não te preocupes. Podes insinuar o que quiseres. Não levo a mal. :)

Falta de sexo? Talvez... De qualquer das formas, verdade seja dita que não me lembro de alguma vez ter sido o sexo em demasia... ;)

O que me supreendeu foi a forma como escreveste. Como quem tem a certeza de algo que, no fundo, desconhece. Como quem julga conhecer, e prefere afimar em vez de perguntar... ;)

Mas participa, sempre! «Pois para isso fomos feitos»... ;)

Anónimo disse...

A vida não é só feita de sexo, existem outras coisas igualmente boas…

Anónimo disse...

Pipo, neste momento não é claro para ti se nos conhecemos há muito tempo, ou apenas há alguns posts.

Além de tirar nabos da púcara, que também pode ser considerada simples coscuvilhice, outra actividade a que gosto de me dedicar é a provocação.
Sobretudo deste modo camuflado, e porque não acobardado, que me permitem estas modernices dos post anónimos.

Pecados meus, deixe-mo-lo assim.

Daqui decorre que a certeza ou a incerteza sobre aquilo que digo, tal como o tom afirmativo com que o faço, são impertinentes.

E dito isto, acrescento que a maldicência ou a ofensa, embora parecendo implícitas às actividades que referi, não representam de modo algum o objectivo daquilo que escrevo.

Vejamo-lo como um exercício. Como tu, também eu adoro escrever.

Como tu, também eu adoro olhar para o meu umbigo, até porque se eu não gostar do meu umbigo, quem gostará?

(E tens toda a razão. Roça-roça falta sempre.)

Sara Lambelho disse...

(Feiinho, pelo andamento da coisa, este post ainda te vai valer uma boa catrefada de comentários ...)

Eu vou chutar mais um ... não resisto, desculpa. :)

Parou, meu caro/minha cara "anónim@"! ... Parou! Não respira, não mexe ... lê ... com olhos de ler. :)

Há que conhecer um bocado as pessoas para se poder fazer uma interpretação acertada do que se comenta por aqui.
Quando deixo o meu comentário, directo ou indirecto, faço-o com a certeza de que será bem interpretado pelo autor deste blog ... Só por este simplicíssimo motivo, não vou sequer 'traduzir' os meus dois comentários anteriores. Posso, no entanto, assegurar-te que foram mal interpretados da tua parte. :P

Ora ... e assim sendo, vou concluir como conclusão do acima supracitado (espasmo, peço desculpa :P) que, em futuros comentários, talvez seja mais fofinho da tua parte que perguntes, suponhas, critiques, atices até ... Mas peço-te, não afirmes o que desconheces, boa? :)

Beijo gordo ... whoever you are. :)

MiSSS disse...

'Oh, they say that time presses but time doesn't press,
it's just a figure of motion, and emotional unrest,
it's a matter of seing and of being seen...
As far as I'm concerned, time is the state of my jeans'
(Tom Barman)

Anónimo disse...

Tudo é verdade, tudo é caminho.
Fernando Pessoa

às vezes é bom andar para trás, como é bom ter medo, faz-nos conhecer, faz-nos pensar, faz-nos reflectir e faz-nos ser melhor amanha. Acredito muito mais numa derrota no momento certo q uma série de vitórias nos momentos errados. erra aos 30, nao erres aos 40 (aí irás cometer outros erros)
Por isso agora é ir em busca do próximo erro. Errar doí, errar custa, errar até chega a matar mas é no erro q está o acerto.
Amanha fará sol e o mar estará novamente azul, goza o dia cinzento para ti e partilha com os teus.
abraço e se quiseres aparece

Anónimo disse...

À Andorinha:

Picaram-se as hostes... Melhor assim! Vamos, não insinuei que serias tu a dar os miminhos ao Filipe, nem que a outra Sara o convidava para a sua banheira.

Apenas disse que havias intuido que uns mimos lhe cairiam bem, neste momento mais cinzento. Do tipo de mimos que até dispensarão, estamos de acordo, a abertura das braguilhas.

Os afectos, tal como as opiniões, não se discutem. Cada um recebe e dá o que bem entender, na medida que entender.

Agora, dizer que a vida não é só feita de sexo, é uma mentira descarada. O corpo é uma máquina concebida para que a dado momento se reproduza, de preferência várias vezes.

Que nós achemos, eu incluído, que a vida não é só isso, já é outra questão. Outra questão que por vezes nos enche de alegria por ainda estarmos vivos, e que outras nos deprime por não estarmos já mortos.

Entre um estado e o outro, haja filhos, amigos e comezainas para suportar mais um Inverno.

Anónimo disse...

lol tá Bonito tá!!
So U Have to!!

Quanto ao Mr. Anónimous, Sexo por esta maravilhosa cidade é coisa que não falta.. Uma das principais atracções turisticas são as girls.
Por isso meus amigos só vos aconselho venham porque as Babes são Lindasss de morrer.

Big Kiss Filipini!!
Good Vibes

Anónimo disse...

Acho que se for uma questão de sexo, não precisas de ir tão longe...
Se for para outras coisas, penso que basta olhares para o teu lado...
:o)

Filipe Feio disse...

Que grande confusão! :)

Neste momento, a minha preocupação é que a massa fique al dente. Só isso e já fico contente. :)

Bom domingo...

Anónimo disse...

Será que toda esta filosofia poética não esconde a realidade? Porquê este prazer pela dor, pelo sofrimento, pela melancolia?
"pq todo o passado acumula num mesmo lugar(...)"? Mas o passado já foi presente e tu não o soubeste aproveitar...

Anónimo disse...

Cruzes! Quem vive de passado é museo :)
A.

Filipe Feio disse...

Dor, sofrimento e melancolia? Não... Prazer pela vida, e por tudo o que encerra. «Alimentos e excrementos». «Sonhos e perplexidades»...

E aproveitei o melhor que soube e fui capaz, e isso foi tudo!