quarta-feira, dezembro 20, 2006

Asas da memória...

Será que tenho andado de olhos fechados? Ou terá sido hoje a primeira vez que me cruzei com um pintassilgo nesta praça solarenga? Esvoaçava colorido por entre as flores da manhã... Subitamente, era eu quem pairava sobre as searas ondulantes da minha infância, dessa terra de gente quente, para além da saudade e do Tejo...


[fotografia: www.ivnvechtplassen.org]

[Oiço Transistor Radio, de M. Ward...]

9 comentários:

Anónimo disse...

O Alentejo espera-te

Filipe Feio disse...

Sei bem que és, anónimo amigo... :)

Anónimo disse...

Então pára lá de sabedorias e mexe esse cú!
Não importa o mensageiro...

O Alentejo espera-te

Filipe Feio disse...

:)

Sara Lambelho disse...

O campo é que é ... upa upa. Não existe melhor terapia.

Também não sei o que é que eu, uma quinteira das Beiras, ainda anda a fazer por Lisboa ... oh well.

[*] sr. F

Filipe Feio disse...

:) Andas a cruzar-te connosco, com os que também por cá andam... :)

Sara Lambelho disse...

Verdade, my dear. :)

[*]

Anónimo disse...

ultimamente tenho ouvido falar tão gostosamente sobre o Alentejo, mentalmente acho q já me mudei umas cinco vezes p lá :)

MissangaAzul disse...

Feliz Natal, rapaz...
Como é bom voltar a ler as tuas palavras...
:)