segunda-feira, setembro 10, 2018

Parentalidade negativa

Muito interessante, a entrevista a Minus P. Hood, um dos fundadores da “parentalidade negativa”:

- O que é a parentalidade negativa?
- A ideia passa por antecipar a formação, e potenciar o crescimento, do vazio fundamental da criança, ajudando-a a atingir precocemente a consciência da falta de sentido que sustenta a sua vida, da inequívoca indiferença do cosmos com que se confronta no seu quotidiano.

- Com que objectivo?
- No fundo, o objectivo é o de que a criança viva a primeira grande crise existencial nos primeiros anos de vida. Queremos crianças lúcidas, conscientes da sua impotência enquanto seres humanos, capazes de suportar nos ombros o seu sofrimento e o do mundo. A genuína construção começa depois da grande desilusão.

- Essa crise existencial não pode levar a que uma criança queira, por exemplo, comprar um descapotável demasiado cedo?
- O meu filho tinha três anos e chegou-me a casa com uma tatuagem. Aos quatro disse que ia viajar e a última vez que soube dele foi através de um postal com carimbo da Mongólia. Faz cinco anos no mês que vem. No fundo, é educar para a autonomia...

Sem comentários: