sexta-feira, outubro 20, 2006

Tempo do amor...

Carta escrita pelo diplomata Vinicius de Moraes e endereçada ao Ministérios das Relações Exteriores Brasileiro:

"Preciso, de facto, voltar para o Rio de Janeiro. Não é um problema material, de dinheiro, ou de status profissional. Tudo isto é recuperável. É um problema de amor. Pois o tempo do amor é que é irrecuperável."

4 comentários:

Anónimo disse...

Irrecuperável é o tempo em que renegamos o amor...uma negação de sensibilidade, de emoções, digamos. Mas quem é que ainda acredita que amar não é sofrer? Pobres os que ainda acreditam que amor e sofrimento não caminham de mãos dadas...

S.L. disse...

já tinha ouvido falar no teu blog mas ainda não tinha dado por ele. Agora sim, aqui está. Do que vi gosteimuito, mas gostei particularmente do grande Vinicius de Moraes.

Anónimo disse...

O tempo do amor, o de sugar do momento tudo o que ele tem para dar, o do dar no momento tudo o que temos, esse é para ser agarrado, disfrutado, num respeito solene para com as coisas mais belas da vida. :-)
O amor das memórias, esses doces que para sempre guardamos, podemos saboreá-lo sempre, basta abrir a caixa das preciosidades vividas.
Mas este, na verdade, é iguaria inalcançável se não mantivermos essa disposição especial de entrega à loucura. Sem isso, envelhecemos para abrir caixas vazias...

Filipe Feio disse...

"Quem já passou por essa vida e não viveu
Pode ser mais, mas sabe menos do que eu
Porque a vida só se dá pra quem se deu
Pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu" (Vinicius de Moraes)